quarta-feira, 19 de março de 2014

Sobre a decisão de por na escola

Quando o bebe nasce a gente fica deslumbrado, é tipo começo de namoro, sabe? Você se vê completamente apaixonada e não tem mais volta, não consegue imaginar sua vida um segundo sequer sem aquele serzinho minusculo expert em vômitos e cocos explosivos. Qualquer espasmo é risada, qualquer olhar é um eu te amo. Aí os meses vão passando, a falta de sono, o choro, as olheiras, o cansaço vai batendo e vemos que a realidade não é tão cor-de-rosa quanto parecia.
 A gente entra numa fase mais realista, já não romantiza mais tanto quanto as pessoas que não tem filhos ou como você mesmo romantizava meses atras. Entrei nessa fase dia desses, comecei a achar muitas coisas chatas e não me sentir mal por isso, porque realmente são chatas. Comecei a sair mais sem meu filho sem me sentir culpada e sem ligar a cada 5 minutos pra saber se está bem. Hoje em dia eu vejo, que não é só paixão, é amor mesmo, enxergo os defeitos do meu filho e as chatices da maternidade sem dó. Vejo que pra eu ser uma boa mãe e tenho que também pensar em mim, eu tenho que estar feliz pra cuidar bem dele, percebo que eu pensar em mim não é errado, pelo contrário, Nicolas merece ter uma mãe realizada e feliz assim como ele merece ser realizado e feliz. Hoje eu vejo o tamanho do meu amor por ele, que parece infinito, 1 ano e quase 3 meses depois ainda suspiro ao vê-lo dormir, me orgulho  de cada pequena conquista diária como ele conseguir se levantar sozinho, ou acertar a colher na boca, e é algo que só se multiplica, é um amor completamente real, eu sei das partes ruins de cuidar de um filho, eu sei da dificuldade de educar, e mesmo assim cada dia mais amo ser mãe e adoro ter meu filho do meu lado. Mas também gosto de ter minha vida sem ele, de falar sobre assuntos que não envolvem apenas ele. Me sinto bem tendo meus assuntos além da maternidade. E pela primeira vez desde que ele nasceu sinto vontade de voltar a trabalhar. Parece algo besta, mas pra mim, que meses atrás tremia só de pensar em deixar meu filho numa escola com 2 ou 3 anos pra voltar a trabalhar, é uma mudança e tanto.
 Quando Nicolas era pequeno eu não conseguia imaginar ele tendo uma vida longe de mim, talvez fosse até um pouco de egoísmo, ele era meu bebe, eu era a vida dele e ele a minha. E realmente ele não ficava nem um pouco bem longe de mim, era um grude demais. E acho que isso é normal nos primeiros meses mesmo. Mas agora as coisas mudaram, Nicolas chegou em uma fase que fica bem sem mim, passa tardes com o pai sem reclamar, fica algumas manhas e todas as noites com a minha mãe ou com a minha tia e não sente a minha falta, as vezes nem quer ir embora mais. Eu percebo que ele depende cada dia menos de mim, e fico orgulhosa por isso. Não sinto que estou perdendo meu filho e nem tenho medo de ele não gostar de mim, como ingenuamente eu pensava no começo. Eu sou mãe dele e sempre vou ser, nossa ligação continua igual independente de qualquer coisa! E o nosso amor e cumplicidade só cresce. Fico extremamente feliz em ver meu filho começando a criar suas asas. E comecei a ver uma nova necessidade em casa. A necessidade de ele ter um tempo e espaço só dele, amigos dele, estimulos corretos. A necessidade de eu ter novamente o meu dinheiro, de fazer algo que eu goste, de sair pra trabalhar. Então decidi, Nicolas vai pra escolinha e eu não poderia estar mais ansiosa. Tenho certeza que as conquistas dele irão se multiplicar e o orgulho que eu sinto por ele será cada dia maior, só de imaginá-lo de uniforme me vem lagrimas nos olhos. Sei que vou sentir falta de passar todas as tardes grudadinha com ele, mas também sei que pra nós no momento é a melhor decisão. Não acho que seja a decisão correta para toda criança, pelo contrário, acho que pro MEU filho que ama estar com outras crianças vai ser ótimo, acho que pra mim que vejo a necessidade de não ficar mais em casa, além de estar precisando trabalhar $$, é a solução perfeita! Fiquem ansiosos por nós *-*, Nicolas vai ir na metade do ano com 1 ano e meio! E eu, boba do jeito que sou já até comprei a mochila, 3 meses antes hahahaha...


Nenhum comentário:

Postar um comentário