domingo, 15 de junho de 2014

Relato de amamentação (Desmame, parte I)

a sua primeira mamada
   Desde a gravidez eu queria muito amamentar, muito mesmo, me preparei desde o positivo tomando banho de sol, usando a buchinha, me informando o máximo que eu podia.... Depois da minha cesária (desnecessária), aí sim eu pensei, pelo menos amamentar eu TENHO que conseguir!! O Nicolas nasceu e assim que desceu pro quarto veio uma enfermeira pra colocar ele no peito, na mesma hora ele começou a sugar o colostro, coisa mais linda e amada do mundo!
Mas é claro que nunca é tão simples assim, Nicolas era prematuro e com isso ele não tinha forças para mamar, e nem sabia pegar o peito direito, meu bico era muito grande pra boquinha pequenininha dele, mas eu estava muuuito longe de desistir. Era uma pressão bem grande porque ele precisava ganhar peso de qualquer forma porque ele era um bebe de alto risco e baixo peso (saiu do hospital com 1970 gramas), ele não podia ficar mais que 3 horas sem mamar pra não ter risco de hipoglicemia, mas como todo bom prematuro ele só queria dormir....
com alguns dias de vida
Nos primeiros dias nós sofriamos a cada 2 horas pra tentar acordá-lo pra mamar, era tirar a roupinha, passar pano molhado no rosto, uma luta, tiveram vezes que levamos 1 hora só pra ele acordar, pega o peito, tira, poe de novo na boquinha pra ver se esta pegando certo, depois de muito insistir mamava cerca de 2, 3 minutos e já largava, eu ficava cronometrando no celular o tempo que ele mamava, enquanto outros bebes eu lia que passavam 40 minutos no peito, ele nunca passava mais que 5, aí já não tinha mais forças pra sugar, então eu tirava meu próprio leite e oferecíamos em um copinho pra garantir que ele estava bem saciado. Graças a Deus uma semana depois ele já estava acordando sozinho para mamar e criou sua própria rotininha de mamar a cada 2 horas durante o dia e a cada 3 horas durante a noite. Mesmo mamando tão pouquinho por mamada nos primeiros 7 dias ele já havia recuperado o peso do nascimento! Cada pesagem era uma vitória para mim. Mas claro que não poderia ser simples assim tinha que complicar um pouco mais.... com exatos 8 dias de vida Nicolas que mal resmungava começou a passar o dia reclamando, vomitar muito e chorar enquanto mamava. Eu não sabia o que fazer, achava que o problema era eu, pois ele chorava de fome, vinha pro peito e não conseguia mamar, e eu chorava junto, com medo de ele passar fome...Aqui e aqui tem os links de como eu contei mais ou menos o que acontecia, com 17 dias se não me engano levamos em uma médica diferente que desconfiou da APLV e do refluxo, ele começou a tomar medicação pro refluxo e eu a fazer a dieta restritiva sem leite, com 1 mês mais ou menos cortamos também o ovo da minha dieta, aos poucos ele foi melhorando, as vezes tinha reação novamente com algum erro da dieta (essa época ele reagia até se eu consumisse traços), e em cerca de 7 a 10 dias melhorava, tiveram dias mais tranquilos, dias mais dificeis, mas vamos lá, já chegamos tão longe... cada mês vencido era uma vitória, vou tentar só mais um mês, só mais um...

 Depois que ele melhorou e eu me acostumei a dieta ele já estava bem gordinho hahaha, ganhava de 1 kg a 1,5 kg por mês e crescia absurdamente, cada consulta era um elogio, mesmo com o refluxo e a alergia ele nunca perdeu peso! As mamadas se tornaram mais frequentes e mais longas, cerca de 15 min a meia hora, mamava  o dia inteiro, a cada meia hora, a cada uma hora, não tinha intervalo certo, e a noite era um relóginho acordava a cada 3 horas certinho!! Eu estava muito feliz com o desenvolvimento dele e ganho de peso, mas chegou um ponto que eu não aguentava mais amamentar, rs. quando ele estava com 5 meses chegou ao ponto de mamar a cada 20 minutos, e como eu não acostumei ele desde pequeno com a mamadeira, não pegava de jeito nenhum, eu não podia ir nem na esquina sem ele.  Durante a noite quando eu ia pra faculdade ele continuava fazendo o intervalo de mamar a cada 3 horas, minha mãe oferecia meu leite no copinho, mas passamos muito sufoco pois varias vezes ele não aceitava mais o copinho e chorava desesperadamente querendo o peito! Então vieram minhas férias e eu pensei seriamente em trancar minha faculdade, pois não aguentava mais ir pra aula e ter que voltar logo em seguida, mas resolvi esperar, em 1 mês bebes mudam muito né? Continuei amamentando em livre demanda como sempre fiz mas comecei a introdução alimentar mais cedo (me julguem), eu não aguentava mais amamentar, estava exausta, havia emagrecido e estava absurdamente cansada. A primeira vez que Nicolas comeu uma frutinha foi aos 5 meses e 5 dias de vida,  foi uma pera e ele gostou muito... Foram cerca de 2 meses pra ele acostumar com a alimentação, mas aos 7 meses minha vida já era muito mais tranquila, ele fazia umas 4 refeiçoes por dia e ainda mamava bastante, já não exigia por mim quando eu estava na faculdade e eu pude começar a respirar um pouco.
 Então com o tempo Nicolas foi acostumando a ficar mais tempo sem mamar, mas pra dormir quando estava comigo era só no peito, nem pensar em chupeta ou qualquer outra coisa, era peito e embalo... Com cerca de 10 meses geralmente mamava apenas pra dormir e não pedia mais mama em outras ocasiões. O tempo foi passando e eu imaginei que ele fosse largando o peito por conta própria, mas o contrário aconteceu...

Mamando aos 11 meses
(continua...)

Um comentário:

  1. Contiuuuua? Como assim? Posta logo! Eu te admiro muito como mãe! Sei de perto o quanto foi difícil essa fase de começo de amamentação. Parabéns pelo amor e dedicação que vc oferece ao nosso lindo baby! Sophia

    ResponderExcluir